Reprodução/Instagram

Tamara Klink: Primeira mulher brasileira a cruzar o Círculo Polar Ártico em jornada solo

Tamara Klink (@tamaraklink), velejadora de 27 anos, fez história ao se tornar a primeira mulher brasileira e a mais jovem navegadora do país a cruzar o Círculo Polar Ártico sozinha. Em uma entrevista ao programa ‘Fantástico’ da TV Globo, no domingo (7), Tamara compartilhou detalhes emocionantes de sua jornada e os desafios que enfrentou, incluindo um momento em que acreditou estar morta após cair no mar gelado.

A Jornada de Tamara Klink

Reprodução/Instagram

A expedição de Tamara começou na França, de onde ela navegou por 20 dias até a Groenlândia. Ao chegar ao seu destino, ela enfrentou o rigoroso período de invernagem no Ártico, permanecendo isolada em seu barco, preso no mar congelado, durante todo o inverno. As temperaturas variavam entre -20ºC e -40ºC, impondo um desafio extremo à jovem navegadora.

Experiência de Queda no Mar

Durante a entrevista ao ‘Fantástico’, Tamara relatou um dos momentos mais críticos de sua expedição: a queda no mar. “Eu não sabia se estava viva ou se estava morta. Só pensei: ‘Será que eu morri? Minha alma veio andando sozinha?’, porque eu não sentia nada no corpo”, lembrou ela. Este incidente destacou não apenas os perigos físicos da navegação em condições extremas, mas também a força mental necessária para superar tais situações.

Isolamento e Comunicação

Ao longo dos nove meses de expedição, Tamara Klink teve contato mínimo com a civilização. Sua comunicação com o mundo exterior se deu exclusivamente por e-mails e textos que uma amiga publicava nas redes sociais. Este isolamento intensificou os desafios da jornada, exigindo uma resiliência extraordinária da jovem navegadora.

Tamara Klink não só estabeleceu um marco histórico na navegação brasileira, mas também inspirou muitos com sua coragem e determinação. Sua expedição solo pelo Círculo Polar Ártico é um testemunho do espírito aventureiro e da capacidade de superação humana. Tamara continua a ser um exemplo para todos que enfrentam desafios aparentemente insuperáveis.

Referências

KLINK, T. Entrevista ao programa Fantástico. TV Globo, 7 jul. 2024.

Sobre marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

Desempenho Criativo dos Estudantes: Brasil em Posição Inferior em Ranking da OCDE

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) publicou uma pesquisa inovadora no Programa …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *