O Poder Naval e os Desafios Contemporâneos: Análise do Simpósio na Escola de Guerra Naval

No dia 2 de julho de 2024, a Escola de Guerra Naval (EGN), localizada no Rio de Janeiro, sediou o simpósio intitulado “O Poder Naval e os Desafios Contemporâneos”. Organizado pelo Centro de Estudos Político-Estratégicos da Marinha do Brasil (CEPE-MB) em colaboração com a EGN, o evento reuniu cerca de 430 participantes, incluindo estudantes, civis e militares, acadêmicos e pesquisadores. O encontro foi uma plataforma essencial para discutir a defesa dos interesses marítimos do Brasil e a adaptabilidade da Força Naval diante das novas dinâmicas geopolíticas e desafios globais.

Contexto e Importância do Poder Naval

O simpósio destacou a relevância do Poder Naval como um dos pilares fundamentais para a segurança e projeção de poder de uma nação. O Almirante de Esquadra (Fuzileiro Naval) Paulo Martino Zuccaro, presidente do CEPE-MB, enfatizou a necessidade de as Marinhas modernas serem capazes de atuar em todo o espectro de possibilidades de emprego do Poder Naval, desde a cooperação até o conflito armado. Ele ressaltou que, embora algumas ameaças como a pirataria não sejam novas, as Marinhas devem estar preparadas para uma combinação de desafios contemporâneos e tradicionais.

Palestras e Debates

Um dos principais palestrantes do evento foi o Professor Doutor Ian Andrew Speller, da Universidade Maynooth, na Irlanda. Ele abordou a complexidade da interconexão mundial, manifestada através das mudanças climáticas, da transição energética e do crescente uso do mar. Speller destacou que a defesa dos interesses nacionais é a base do planejamento estratégico naval, e que não existe um padrão único de configuração de Marinha a ser seguido, dada a diversidade de desafios enfrentados por cada nação.

Outro palestrante de destaque foi o Capitão de Mar e Guerra (da Reserva) Professor Doutor William Moreira, que discutiu “O Pensamento Estratégico e o Poder Naval”. O Contra-Almirante Dino Ávila Busso, Subchefe de Estratégia do Estado-Maior da Armada, falou sobre “Preparando o Poder Naval”. Ambos trouxeram perspectivas valiosas sobre a importância do planejamento estratégico e da preparação contínua da Marinha para enfrentar desafios futuros.

Desafios Contemporâneos e a Visão da Defesa Nacional

O Almirante Zuccaro também abordou a necessidade de transformar a visão superficial que a sociedade tem em relação à Defesa Nacional. Ele argumentou que o pacifismo característico do Brasil não deve ser visto como suficiente para isentar o país de ameaças internacionais, enfatizando a importância de Forças Armadas bem equipadas e preparadas. Esta visão é crucial para garantir que a defesa dos interesses marítimos do Brasil seja efetiva e adaptável às mudanças no cenário geopolítico.

Próximos Passos

O simpósio “O Poder Naval e os Desafios Contemporâneos” foi um evento de grande importância para a discussão de questões estratégicas e a preparação da Marinha do Brasil para o futuro. O próximo simpósio, já programado para outubro, abordará as tecnologias empregadas nos conflitos armados da atualidade, prometendo continuar a contribuir significativamente para o desenvolvimento do pensamento estratégico e operacional da Marinha.

Referências

MARINHA DO BRASIL. Simpósio discute “O Poder Naval e os Desafios Contemporâneos” no RJ. Disponível em: https://www.marinha.mil.br. Acesso em: 05 jul. 2024.

Sobre marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

Desempenho Criativo dos Estudantes: Brasil em Posição Inferior em Ranking da OCDE

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) publicou uma pesquisa inovadora no Programa …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *