Os Desafios do Sistema Internacional Contemporâneo para a Defesa: Reflexões do XXIX Ciclo de Estudos Estratégicos

O XXIX Ciclo de Estudos Estratégicos, realizado em 29 de maio de 2024, proporcionou uma plataforma robusta para discutir os desafios contemporâneos enfrentados pelo sistema internacional de defesa. O evento, que se destacou por sua profundidade e relevância, foi enriquecido pelas discussões das 2ª e 3ª Mesas Temáticas, que abordaram questões cruciais para os profissionais e acadêmicos presentes.

A Temática Climática e a Defesa

A segunda mesa, intitulada “A Temática Climática e a Defesa”, foi moderada pela jornalista Leila Sterenberg e reuniu especialistas renomados para debater a interseção entre mudanças climáticas e segurança nacional. O Prof. Dr. Henrique dos Santos Pereira, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), abriu a sessão destacando a correlação entre mudanças climáticas e o aumento de desastres naturais. Ele salientou os impactos específicos para o Brasil, enfatizando a necessidade de políticas de defesa adaptativas e resilientes.

A Embaixadora Tatiana Rosito, Secretária de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda e Coordenadora da Trilha de Finanças do G20, abordou o tema “Soberania e Clima”, discutindo as ações do G20 no enfrentamento das mudanças climáticas. Sua análise evidenciou a importância de uma abordagem multilateral e cooperativa para mitigar os efeitos adversos do aquecimento global sobre a soberania nacional.

Encerrando a mesa, o Prof. Dr. Carlos Afonso Nobre, da Universidade de São Paulo (USP), participou virtualmente para discutir “Mudanças Climáticas: Reflexos para a Amazônia e Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável”. Sua apresentação focou nos impactos devastadores das mudanças climáticas na Amazônia e nas estratégias de desenvolvimento sustentável que podem ser adotadas para proteger este ecossistema vital, ressaltando a necessidade de políticas de defesa que incorporem considerações ambientais.

Desenvolvimento Econômico e Social e a Defesa

A terceira mesa, intitulada “Desenvolvimento Econômico e Social e a Defesa”, foi moderada pelo jornalista Roberto Motta e abordou a complexa relação entre desenvolvimento econômico e a indústria de defesa. O Prof. Dr. Eduardo Viola, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), iniciou a discussão com uma análise aprofundada sobre a “Economia Mundial e a Indústria de Defesa Nacional”, destacando as implicações econômicas globais para a segurança e defesa do Brasil.

O Embaixador Rubens Barbosa prosseguiu com a apresentação “Desenvolvimento Social e Econômico na Amazônia e o Papel da Defesa”, onde discutiu as dinâmicas sociais e econômicas da região amazônica e a importância estratégica da defesa nacional na promoção do desenvolvimento sustentável.

Finalizando a mesa, o Sr. Guilherme Soria Bastos Filho, Secretário de Política Agrícola da FGV, discorreu sobre “A Internacionalização do Agronegócio Brasileiro e a Defesa Nacional”. Ele enfatizou como a expansão do agronegócio brasileiro no mercado global está intrinsecamente ligada às políticas de defesa nacional, destacando a necessidade de proteger as cadeias produtivas e as infraestruturas críticas.

Encerramento do Ciclo

O encerramento oficial do Ciclo foi conduzido pelo General de Divisão Fernando Bartholomeu Fernandes, 7º Subchefe do Estado-Maior do Exército. Em seu discurso, o General Fernandes ressaltou o papel essencial do Ciclo de Estudos Estratégicos no fomento ao pensamento crítico e no desenvolvimento profissional dos envolvidos. Ele sublinhou a necessidade de criar soluções regionais para desafios compartilhados no cenário estratégico brasileiro, expressando gratidão aos palestrantes pela contribuição significativa ao evento.

Com informações da ECEME.

COLAPSO NO RS: A NECESSIDADE DE REVISÃO DOS RISCOS CLIMÁTICOS À INFRAESTRUTURA BRASILEIRA

Sobre marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

A vergonha da inércia e da ignorância na aplicação das leis no Brasil

Por Rodolfo Queiroz Laterza* Ser operador do sistema normativo no Brasil é mais que um …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *