Acervo Pessoal/Claudio Lucchesi

PIERRE CLOSTERMANN: O HERÓI BRASILEIRO NO DIA D E SUA TRAJETÓRIA DURANTE A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

A Segunda Guerra Mundial foi um dos conflitos mais devastadores da história, envolvendo múltiplas nações e resultando em significativas transformações geopolíticas. Entre os inúmeros heróis que emergiram desse período, destaca-se Pierre Henri Clostermann, um franco-brasileiro cuja participação no Dia D e em outras missões o consolidou como um ás da aviação.

Pierre Henri Clostermann: Início de Vida e Formação

Pierre Henri Clostermann nasceu em 28 de fevereiro de 1921, em Curitiba, Brasil. Filho do vice-cônsul francês Jacques Clostermann e Madeleine Carlier, Clostermann viveu parte de sua infância entre o Brasil e a França. Aos 16 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estudou filosofia no Liceu Franco-Brasileiro e aprendeu a pilotar no Aeroclube do Brasil sob a tutela do instrutor alemão Karl Benitz. A combinação de suas raízes franco-brasileiras e sua paixão pela aviação moldaram seu futuro na aviação militar.

Carreira na Aviação e Segunda Guerra Mundial

Com o início da Segunda Guerra Mundial, Clostermann alistou-se na Força Aérea Francesa Livre (FAFL), servindo na Real Força Aérea Britânica (RAF). Ele chegou à Inglaterra em 1940, enfrentando os bombardeios alemães que assolavam Liverpool. Pilotando diversos aviões, incluindo o icônico Spitfire, Clostermann participou de 432 missões, abateu 33 aeronaves inimigas e destruiu centenas de veículos terrestres.

A primeira vitória aérea de Clostermann ocorreu em 27 de julho de 1943, quando abateu um Focke Wulf 190. Este feito marcou o início de sua notável carreira de combate, onde se destacou por sua habilidade e coragem.

Participação no Dia D

No Dia D, 6 de junho de 1944, Clostermann participou da invasão aliada na Normandia, um dos eventos mais cruciais da guerra. Suas missões incluíam escoltas, varreduras e interceptações, desempenhando um papel vital na cobertura aérea das forças terrestres. A participação de Clostermann no Dia D destacou-se não apenas por sua nacionalidade, mas também pela sua competência em combate, contribuindo significativamente para o sucesso aliado.

Pós-Guerra e Legado

Após a guerra, Clostermann publicou suas memórias em “O Grande Circo” (1948), um relato vívido e franco de suas experiências durante o conflito. O livro, traduzido para 30 idiomas, tornou-se uma referência entre os relatos de aviadores militares.

Em 1946, Clostermann ingressou na política, sendo eleito deputado na França. Ele continuou a servir seu país em diferentes capacidades, incluindo sua participação na Guerra da Argélia. Pierre Henri Clostermann faleceu em 22 de março de 2006, aos 85 anos, deixando um legado de bravura e dedicação.

Referências

ARGUELHES, Delmo. Pierre Clostermann: A História do Herói Franco-Brasileiro na Segunda Guerra Mundial. Universidade de Brasília, 2020.

FERREZ, Francisco César. Os Brasileiros e a Segunda Guerra Mundial. Zahar, 2005.

RODRIGUES, Icles. O Dia D – Como a História Se Tornou Mito. Contexto, 2024.

BBC News Brasil. Dia D: Pierre Henri Clostermann, o único brasileiro que participou do evento histórico. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-57364645. Acesso em: 5 jun. 2024.

EXERCÍCIOS REFORÇAM COOPERAÇÃO ENTRE MARINHA DO BRASIL E FORÇAS NORTE-AMERICANAS

Sobre marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

COMEMORAÇÃO DO DIA DO SERVIÇO DE SAÚDE DO EXÉRCITO PELO GRUSEF: UM TRIBUTO À HISTÓRIA E À DEDICAÇÃO

No dia 28 de maio, o Grupo Sergipano de Estudos da FEB (GRUSEF) celebrou o …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *