EXERCÍCIOS REFORÇAM COOPERAÇÃO ENTRE MARINHA DO BRASIL E FORÇAS NORTE-AMERICANAS

A Marinha do Brasil (MB) participou da Operação “Southern Seas – 2024” com a visita oficial de quatro navios dos Estados Unidos da América (EUA) ao Rio de Janeiro (RJ). Entre os navios, destaca-se o Porta-Aviões USS “George Washington”. A comissão se estenderá até o dia 24 de maio, por ocasião da passagem da Força-Tarefa Norte-Americana pelo Brasil. Durante esse período, serão realizadas operações navais e aeronavais com a Guarda Costeira (USCG) e a Marinha dos EUA (USN), na área marítima compreendida entre os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Objetivos e Importância da Operação

A “Southern Seas – 2024” tem como principais objetivos aprimorar a interoperabilidade, a cooperação e os laços de amizade entre as forças envolvidas. Este exercício conjunto contribui significativamente para a atuação da Marinha do Brasil no campo da Diplomacia Naval, demonstrando o compromisso mútuo com a segurança marítima global e o fortalecimento das capacidades operacionais.

O Capitão de Mar e Guerra Caetano Quinaia Silveira, Comandante do 1º Esquadrão de Escolta e responsável pelo Grupo-Tarefa que planeja e executa as atividades relacionadas à operação, destacou que “este exercício não somente testará e ampliará a capacidade das forças participantes de atuarem em conjunto em situações reais, mas também reforça o compromisso de ambas as nações com a segurança marítima mundial”.

Atividades Desenvolvidas

Na segunda-feira (13), com a chegada do navio USCGC “James” à Base Naval do Rio de Janeiro, em Niterói (RJ), militares da USCG promoveram uma oficina sobre técnicas de abordagem. Durante essa oportunidade, ocorreu um exercício na Fragata “União” da MB, marcando o início do intercâmbio e da troca de experiências entre os países.

Essas atividades não apenas servem para o treinamento operacional, mas também comemoram os duzentos anos de relações diplomáticas entre Brasil e EUA. O exercício “Southern Seas – 2024”, planejado desde 2023, é um marco na colaboração entre as marinhas dos dois países, mostrando a evolução e a profundidade dos laços bilaterais.

Navios e Aeronaves Participantes

A Marinha do Brasil está empregando na “Southern Seas – 2024” as Fragatas “Independência” e “União”, além dos helicópteros UH-15/AH-15B “Super Cougar”, AH-11B “Wild Lynx” e AF-1 “Skyhawk”.

Pelos EUA, estão envolvidos o Porta-Aviões USS “George Washington”, o Destroyer da classe Arleigh Burke USS “Porter”, o Navio de apoio logístico USNS “John Lenthall”, e o Navio da Guarda Costeira dos EUA USCGC “James”. Além disso, as aeronaves F-35 “Lighting II”, F/A-18 E/F “Super Hornet”, EA-18G “Growler”, E-2C “Hawkeye” e SH-60 “Seahawk”, componentes da Ala Aérea do USS “George Washington”, também estão participando das operações.

Impacto e Perspectivas

A realização da Operação “Southern Seas – 2024” é um testemunho do comprometimento das marinhas do Brasil e dos EUA com a segurança e a estabilidade marítima. Ao promoverem exercícios conjuntos, as forças navais de ambos os países não só aprimoram suas capacidades técnicas e operacionais, mas também fortalecem os laços de cooperação e amizade, fundamentais para a paz e segurança global.

Este exercício serve de exemplo para outras nações, demonstrando que a colaboração internacional é essencial para enfrentar os desafios marítimos contemporâneos, como a pirataria, o tráfico de drogas e a segurança das rotas comerciais. A continuidade de exercícios como o “Southern Seas” é vital para manter a prontidão e a eficiência das forças navais envolvidas, garantindo a proteção e a prosperidade das nações participantes.

Conclusão

A Operação “Southern Seas – 2024” é um marco na cooperação entre a Marinha do Brasil e as Forças Norte-Americanas. Este evento não só celebra os duzentos anos de relações diplomáticas entre Brasil e EUA, mas também reforça o compromisso de ambas as nações com a segurança marítima mundial. A interoperabilidade e a troca de experiências entre as forças navais envolvidas fortalecem a capacidade de resposta em situações reais, contribuindo para a estabilidade e a paz global.

Referências

  • MARINHA DO BRASIL. Exercícios reforçam cooperação entre Marinha do Brasil e Forças Norte-Americanas, 2024.
  • UNITED STATES NAVY. Southern Seas 2024. U.S. Navy, 2024.

Sobre marcelo barros

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

Check Also

Cúpula sobre Guerra na Ucrânia: Kremlin minimiza resultados e reafirma posição

Em um cenário internacional marcado pela tensão e conflitos, a recente cúpula organizada pela Suíça …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *